COPA 2014: Equipe de Cavalaria brasileira recebe treinamento em LA

490
0
Share:

LOS ANGELES, CA (BDCi) – Visando a segurança dos brasileiros e dos milhares de estrangeiros que passarão pela capital da república, a equipe do Tenente Coronel Leandro Schwitzer da PMDF participou da 7ª edição do NAMUCA, uma conferência internacional oferecida este ano pelo Departamento de Polícia de Los Angeles, LAPD.

O evento reuniu 150 oficiais de vários países como o Brasil, Taiwan, Austrália, Canadá e a polícia montada de outros estados americanos.  A intenção da cavalaria do Brasil é fazer o reforço da segurança durante a Copa do Mundo.

“O diferencial do policiamento montado está no uso do cavalo e é um dos mais tradicionais meios de locomoção em todas as instituições.  O policiamento montado oferece posição privilegiada ao policial que consegue enxergar toda a região em 360 graus qualquer tipo de tensão”, disse o Tenente-Coronel  do 19º Batalhão da Polícia Militar de Brasília, Leandro Schwitzer do Regimento de Polícia Montada.

“Nós fazemos o policiamento montado há mais de 30 anos na capital federal, e estamos prontos para auxiliar na segurança da Copa do Mundo.” Ressaltou.

O evento se dividiu em duas etapas, a parte prática e a parte voltada à formação para controle de multidões.

[slideshow_deploy id=’159192′]

“Acho importante divulgar  que estamos aprendendo e trocando experiência para melhor treinar nosso efetivo da Cavalaria da PM da capital da república para fazer frente às  situações que necessitem nossa atuação” acrescentou o comandante. O número de policiamento  durante os jogos da Copa do Mundo em Brasília  vai variar de 4 mil a  4.500 homens. “Quando o Brasil jogar, o reforço será o maior possível”, completou. https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif

O Brasil e o mundo inteiro estão  em contagem regressiva para a Copa do Mundo. A abertura será no dia 12 de junho no Estádio do  Itaquerão, em São Paulo. Um dos grandes legados da Segurança Pública durante a Copa do Mundo será o policiamento montado, uma exigência da FIFA. “Eles farão uma frente  mais pacífica aos eventuais acontecimentos durante os jogos” acrescentou o coronel.

Share: