Economia brasileira cresce no segundo trimestre

158
0
Share:

BRASÍLIA (BDi) –A economia brasileira cresceu 0,4% no segundo trimestre (de abril a junho) de 2012 em relação aos três primeiros meses de 2012, segundo informou nesta sexta-feira (31) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em valores correntes, a soma de todas as riquezas produzidas pela economia no período alcançou R$ 1,1 trilhão.

O resultado veio abaixo dos 0,5% esperados pelo mercado, mas em linha com a previsão do Banco Central, que esperava uma alta de 0,38%, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do BC, o IBC-Br – um indicador criado pela autoridade monetária para tentar antecipar o resultado do PIB. Apesar do resultado fraco, o desempenho do PIB frente ao trimestre anterior foi o melhor desde abril a junho de 2011, quando crescera 0,6%.

No semestre, a economia brasileira cresceu 0,6% sobre o mesmo período do ano passado.

O IBGE revisou para baixo o desempenho do PIB dos três trimestres anteriores. No terceiro trimestre de 2011, a queda de 0,1% foi acentuada para 0,2%; no quarto trimestre do ano passado, o crescimento foi reduzido de 0,2% para 0,1%. Também foi revisado para baixo, de 0,2% para 0,1%, o crescimento do PIB no primeiro trimestre de 2012.

Previsões
O resultado divulgado pelo IBGE reforça a perspectiva do mercado de um crescimento modesto no ano. Segundo o boletim Focus, que reúne as expectativas dos analistas, a projeção é de um crescimento de 1,73% no ano.
O Banco Central é pouco mais otimista, projetando uma alta de 2,5%. Já a expectativa do Ministério do Planejamento confia em uma expansão de 3% na economia no ano, com o PIB alcançando um crescimento anualizado de cerca 4% no último trimestre, segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Setores
Entre os setores analisados pelo IBGE, na comparação com o trimestre anterior, a maior alta foi registrada pela agropecuária, que teve crescimento de 4,9%. O setor de serviços também registrou avanço, porém mais leve, de 0,7%. Já a indústria recuou 2,5%.
No setor de serviços, tiveram destaque as atividades de intermediação financeira e seguros (1,8%), serviços de informação (1,0%), administração, saúde e educação pública (0,8%) e outros serviços (0,8%).

Por: Ubiratã Farias
Fonte: g1.globo.com
Foto: grandefm.com.br
Data: 31 de agosto de 2012, 10:45 a.m. PST

Share:

Leave a reply