Governo do Brasil nega antecipação de restrições à entrada de espanhóis

126
0
Share:

BRASIL (BDCi)–O governo federal negou nesta quinta-feira (15) que já esteja aplicando a espanhóis medidas de controle migratório previstas para 2 de abril. Visitantes do país europeu dizem estar sendo enviados de volta injustamente, mas o governo da presidente Dilma Rousseff alega estar aplicando o princípio da reciprocidade, já que brasileiros têm sido barrados, principalmente em Madri (Espanha), por não atenderem todos os pré-requisitos para entrada.

De acordo com o jornal espanhol “La Vanguardia”, as regras previstas para o mês que vem já estão sendo cobradas, pelo menos, desde o início de março no Brasil. As exigências incluem passaporte válido por seis meses, bilhete aéreo de ida e volta, comprovação de recursos para estadia e hospedagem garantida –exatamente as mesmas obrigações que brasileiros têm de cumprir quando querem entrar na Espanha.

Apesar disso, o Ministério das Relações Exteriores não descartou que aconteçam incidentes como rejeições equivocadas de cidadãos de qualquer país. O Itamaraty esclareceu que os critérios “são publicados da maneira mais clara possível para que não haja erros”.

O jornal narra o caso de Pablo Ferreirós Bennett, diretor de uma escola de negócios. Ele chegou a São Paulo no último dia 2 para uma feira educacional e foi mandado de volta ao país porque supostamente precisaria de um visto de trabalho. Uma semana depois, entrou por Porto Alegre e não teve nenhum problema.
Há anos os dois países trocam acusações de maus tratos a seus turistas. O último capítulo do enfrentamento se deu depois de a aposentada Dionísia Rosa da Silva, de 77 anos, ser retida por três dias no aeroporto de Madri. Ela retornou na semana passada, já com um protesto formal da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e de pedidos de explicação à Embaixada da Espanha em Brasília. O governo espanhol ainda não respondeu.

Em 2007, os espanhóis barraram 3.013 brasileiros no aeroporto madrileno, segundo o Itamaraty. No ano seguinte, foram 2.196. Em 2009, houve queda para 1.714 e em 2010, para 1695. Os números do ano passado ainda não foram concluídos, mas até agosto pelo menos 1.005 brasileiros foram rejeitados na principal porta de entrada para a Espanha.

Por: Mayara Vigato
Fonte: Noticiasbr
Foto: Google
15 de março de 2012
14:00 p.m PST

Share:

Leave a reply