Obama adverte Putin, mas deixa porta aberta a negociação

174
0
Share:

O presidente americano, Barack Obama, advertiu nesta segunda-feira a Rússia que os Estados Unidos estão preparados para impor sanções suplementares vinculadas à situação na Crimeia, afirmando que uma solução diplomática ainda é possível para solucionar a crise.

Falando a partir da sala de imprensa da Casa Branca um dia após o referendo de anexação da Crimeia à Rússia, e pouco depois do anúncio de Washington e da União Europeia sobre a aplicação de sanções contra autoridades russas e ucranianas de alto escalão, Obama ressaltou que “novas provocações só aumentarão o isolamento da Rússia e diminuirão sua estatura no mundo”.

Obama — que conversou por telefone com seu colega russo Vladimir Putin no domingo — acrescentou que “a comunidade internacional continuará solidária para rejeitar todas as violações da soberania da Ucrânia e sua integridade territorial”.

— A continuidade da intervenção militar russa na Ucrânia somente agravará o isolamento diplomático da Rússia, e sua economia sofrerá ainda mais — alertou o presidente.

No entanto, Obama deixou as portas abertas a um entendimento.

— Acredito que ainda há um meio de resolver esta situação pela via diplomática, de uma forma que responda aos interesses da Rússia e da Ucrânia — disse.

Esta solução, declarou, contemplaria “o retorno das forças russas a suas bases na Crimeia, o apoio ao deslocamento de observadores na Ucrânia e o estabelecimento de um diálogo (de Moscou) com o governo ucraniano”, enumerou.

No mesmo dia, a União Europeia e os Estados Unidos anunciaram a adoção de sanções contra funcionários de alto escalão russos e ucranianos pró-russos, como forma de enviar uma mensagem forte a Moscou após o referendo de domingo que favoreceu a anexação da Crimeia à Rússia.

FONTE: ZERO HORA

(http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/mundo)

Share: