Os conflitos durante os protestos dos professores no Rio de Janeiro

370
0
Share:

Rio de Janeiro (BDCI) 

       Num país, como o Brasil, que a educação nunca foi prioridade das autoridades (apesar de melhorias nos últimos anos, mesmo que a passos lentos) e os mestres que dedicam seu tempo e esforço para propiciar o crescimento de nossos filhos não receberem o devido valor (salários as vezes indignos) não poderia acarretar em uma situação senão a que temos vistos nos últimos dias na cidade do Rio de Janeiro.

9848_585937311470434_190477423_n Foto retirada das redes sociais

     Numa recente pesquisa realizada em 21 países o Brasil ficou em penúltimo lugar, a frente apenas de Israel no quesito de valorização dos professores. Algo que deve deixar qualquer cidadão brasileiro envergonhado. A china foi o país com maior valorização dos professores ficando os EUA em nono lugar. A pesquisa pode ser lida na íntegra no link a seguir: http://www.folhapolitica.org/2013/10/brasil-e-o-penultimo-pais-em-pesquisa.html

     Tentar culpar e focar em determinados grupos que se juntaram aos professores nos protestos pelos conflitos não basta e pior ainda, tira o foco principal do problema. Aqui o buraco é mais embaixo. A situação é muito mais alarmante do que parece. Exige uma reflexão maior por parte da população. O ponto principal não é o conflito em si, entre a polícia e esses grupos, mas o descaso dos políticos que votam leis que vão contra a realidade e anseios de uma classe social (no caso aqui, os professores). Não existe diálogo. A decisão vem de cima para baixo. É unilateral. O dinheiro não é direcionado para a verdadeira necessidade da população. Já passou da hora deles pararem com a política de ocasião. Precisa-se de planejamento para um desenvolvimento real.

     Esses políticos deveriam focar na melhoria social da população ao invés de pensarem apenas nos próprios anseios e benefícios políticos. Essa atitude dos políticos nos remete a uma das palavras mais sórdidas que a língua portuguesa possui que é a CORRUPÇÃO.

     O resultado disso tudo é que a população já cansada de ver tanta corrupção, sem a devida punição, acaba por se revoltar. Uma revolta ainda infantil sem um direcionamento preciso. Uma revolta conduzida de maneira inadequada, talvez pela própria falta de experiência de um povo cuja educação nunca foi prioridade para os governantes. Um povo maravilhoso que se encontra de olhos fechados e mãos amarradas afundando lentamente num mar de corrupção. A limpeza verdadeira se faz necessária e precisa vir com fiscalização, punição adequada, ética e principalmente com a valorização da EDUCAÇÃO e de nossos MESTRES. Sem educação não se constrói uma verdadeira nação. Viva os nossos professores, verdadeiros guerreiros na batalha do saber. Heróis isolados numa batalha desleal. Infelizmente o Brasil é um país rico mas cheio de desigualdades

Share:

Leave a reply