River Plate segura pressão do Tigres e leva decisão para o Monumental

237
0
Share:
River Plate segura pressão do Tigres e leva decisão para o Monumental

Algoz do Internacional na semifinal da Copa Libertadores , o Tigres teve a oportunidade de largar na frente na decisão da competição continental nesta quarta-feira. O clube mexicano recebeu no seu estádio em Monterrey o River Plate, uma reedição do confronto dos classificados do Grupo 6, mas não aproveitou o apoio do torcedor para abrir vantagem na final. O desfecho foi o mesmo dos dois duelos realizados pelas equipes na competição: empate, desta vez por 0 a 0.

Apoiado pelo Estadio Universitario lotado, o Tigres fez um primeiro tempo melhor. Apostando nas jogadas pela direita com o veloz Jurgen Damm, o time da casa chegou perto de abrir o placar. O travessão do gol defendido por Barovero balançou aos 17min, quando Rios cruzou e Vangioni desviou contra sua própria meta. O lançamento alterou a trajetória e caiu na trave, assustando o goleiro argentino, que salvou seu time três minutos depois.

Damm disparou pela ponta, foi à linha de fundo e cruzou na pequena área para Rafael Sobis, que testou firme em cima de Barovero. Bem posicionado, o argentino agarrou a bola no susto, evitando que o adversário saísse na frente. A partir deste lance, o River freou o ímpeto dos anfitriões, e a partida esfriou até o intervalo.

Na volta dos vestiários, o clube argentino voltou mais ligado, embora não tenha ameaçado o goleiro Guzmán. Quem exigiu trabalho de um goleiro foi o Tigres, que encontrou dificuldades para chegar com a bola no chão, dependendo de lançamentos longos de Juninho e da bola parada para ameaçar a defesa adversária. Uma jogada ensaiada aos 14min foi o primeiro lance de perigo da etapa complementar, sem grandes dificuldades para defesa de Barovero.

A chance da vitória veio aos 38min, com Jurgen Damm. O velocista aproveitou falha de Funes Mori e ficou cara a cara com Barovero, a quem deixou para trás com um drible. Entretanto, o mexicano esticou demais a jogada e ficou sem ângulo, tentando um cruzamento para o meio da área. Recuperado na jogada, Funes Mori se redimiu e cortou para lateral, salvando o River da derrota.

O Tigres tentou uma pressão final a fim de chegar a Buenos Aires com a vantagem do empate. No entanto, a retranca dos argentinos deu resultado e qualquer placar favorável no Monumental de Nuñez significará o tricampeonato para os comandados de Marcelo Gallardo. O jogo de volta é na próxima quarta-feira, às 22h (de Brasília).

Mexicanos brasileiros

Treinado pelo brasileiro Ricardo Ferretti, o Tigres teve o domínio da partida e contou com boas atuações dos dois atletas do País que estão no elenco. Rafael Sobis foi mais efetivo que seu companheiro Gignac, mas perdeu chance que poderia ter sido a da vitória do time da casa.

O zagueiro Juninho, ex-São Paulo e Botafogo,  se destacou na parte ofensiva. O defensor, capitão do time, chegou até a cometer deslizes na retaguarda, cedendo um contra-ataque perigoso ao River ao errar um passe na saída de bola, porém contribuiu no ataque com lançamentos precisos direto do campo de defesa, além de boas participações em jogadas de bola parada.

Fonte: esportes.terra.com.br/futebol

Share:

Leave a reply