Sacolas descartáveis com dias contados em São Paulo

119
0
Share:

SÃO PAULO – Com a intenção de promover uma ação de sustentabilidade, a Apas (Associação Paulista de Supermercados) irá lançar no próximo dia 25 a campanha “Vamos Tirar o Planeta do Sufoco”, que estimula a substituição das sacolas descartáveis, nos supermercados paulistas, pelas retornáveis.

Além estimular a substituição das sacolas descartáveis pelas reutilizáveis e o uso de caixas de papelões, a campanha apresenta como alternativa as sacolas biodegradáveis compostáveis, feitas de amido de milho.

Segundo a Prefeitura de São Paulo, as chamadas sacolas biocompostáveis irão custar entre R$ 0,19 e R$ 0,25 para o consumidor.

No entanto, de acordo com a Apas, o uso do amido de milho nas embalagens não deve encarecer os derivados desse produto, pois o uso dele na fabricação das sacolas é pequenos. A associação ressalta ainda que o foco da campanha é incentivar o uso de sacolas reutilizáveis e o fim da cultura do descarte.

Medida Voluntária
A campanha de substituição das sacolas descartáveis é uma medida voluntária dos supermercados. A Apas informou que 100% dos supermercados associados a instituição irão aderir.

A ação começou em Jundiaí, como um projeto piloto, permitindo que fossem retiradas do meio ambiente 80 toneladas de plástico por mês, equivalentes a cerca de 20 milhões de sacolinhas.
“As medidas resultantes de um acordo, endossadas ou não por força de lei, sempre têm o mérito de não serem impositivas, mas sim construídas em parceria pelos diversos setores da sociedade e o poder público, visando à conscientização da sociedade. Este é o modelo mais efetivo, por ser mais democrático”, explicou o presidente Apas, João Galassi.

Data da campanha


A data da campanha foi escolhida em comemoração ao aniversário da cidade de São Paulo, que apresenta grande concentração das principais redes de supermercado.
A campanha possui um termo de cooperação, para implantação da medida, assinado com o governo estadual, prefeituras municipais e da capital de São Paulo.

Dúvidas


A Apas disponibilizou em seu site (www.portalapas.org.br) um questionário de perguntas e respostas para o consumidor entender melhor a proposta da campanha. Entre elas, estão:

O que os supermercados ganham com esta medida?
Os supermercados ganham o mesmo que a sociedade, ou seja, um planeta mais sustentável. Hoje, os custos das sacolas são diluídos nos preços dos produtos. Ao economizar nas sacolas, este valor também será repassado para os produtos, pois este custo marginal será extinto da planilha de custos das lojas. Além disso, parte desse valor será utilizada em ações sustentáveis nas lojas, visando melhor atendimento aos consumidores.

Sem a sacola, os preços dos produtos vão ser mais baixos?
Na planilha de custos dos supermercados estão todas as suas despesas com suprimentos, incluindo as sacolas. Sem as sacolas plásticas descartáveis, este item vai sair da planilha. O custo médio de uma sacola hoje é R$ 0,02. Não há como medir o desconto nos produtos, porque o custo é diluído em todos os itens da loja e não apenas em um.

A cobrança pela sacola compostável (feita de matéria-prima renovável) não vai gerar nenhuma rentabilidade para o supermercado, porque será revendida com margem zero. Por outro lado, a proposta não é vender sacola biodegradável e sim estimular o uso de sacolas reutilizáveis.

As leis que proíbem a distribuição de sacolinhas em vários municípios paulistas têm sido suspensas por liminares pelo TJ (Tribunal de Justiça), mas, mesmo assim, alguns municípios deixaram de distribuir essas embalagens, amparando-se na campanha de conscientização Vamos Tirar o Planeta do Sufoco. A Apas vai incentivar projetos de lei?
A supressão da distribuição de sacolas descartáveis é uma medida voluntária dos supermercados em prol do meio ambiente.

Não há lei que obrigue os estabelecimentos comerciais a oferecerem sacolas para o consumidor, mas evidentemente a Apas está atenta aos hábitos adquiridos e, por isso mesmo, está propondo uma estratégia escalonada para retirar as sacolas descartáveis de circulação a partir de 25 de janeiro de 2012.

A lei é um complemento, mas a campanha Vamos Tirar o Planeta do Sufoco fundamenta-se na conscientização.

Fonte UOL
Foto UOL
18 de janeiro de 2012
4:58 p.m. PST

Share:

Leave a reply