Uma noite de Jazz com o artista brasileiro Márcio Faraco

Share:
Márcio Faraco - Los Angeles, CA - Janete Weinstein - BDCi TV

LOS ANGELES, CA (BDCi) — Nesta última sexta-feira (13), o compositor e guitarrista brasileiro Márcio Faraco se apresentou em um show único e cativante para uma casa cheia no Le Lycée Français de Los Angeles no Teatro Raymond Kabbaz. A variedade de estilos, gêneros de música foi a combinação perfeita para sua primeira apresentação na cidade dos anjos.

A noite foi mais do que especial para a comunidade francesa, e para o quarteto.  Márcio fez sua primeira aparição oficial em Los Angeles, e dedicou a noite às vítimas do atentado na França. O artista e os integrantes de sua banda, Gerson Saeki (baixo),  Julio Gonçalves (percussão) e Lionel Suarez (Acordeão) vivem atualmente em Paris.

Com uma voz suave e contagiante, Márcio e sua banda esquentou a noite fria da cidade dos anjos. Em seu repertório musical estavam  “Ciranda”, “Na Casa de Seu Humberto”, “Neguinha”, “Com Tradição”, “Angelina”, “Vídeo Game”. Além dos diversos ritmos brasileiros, Márcio também apresentou uma de suas composições em francês – “Paris” – que agradou em cheio à plateia.

[slideshow_deploy id=’230487′]

MÁRCIO FARACO

 

Conversamos com Márcio rapidamente sobre suas influências e carreira, a qual ele diz ter sido tremendamente apoiado pelos pais e avós. “Meu pai toca violão, minha avó ensinava piano, e meu bisavô foi um grande pianista. A música é presente e importante em minha casa.” Além disso, o músico cita que Chico Buarque e Gilberto Gil o inspiram para compor suas canções, e Beto Guedes, Antonio Carlos Jobim, Vinicius de Moraes, João Bosco, João Gilberto também estão presente em seu estilo de música. Em seu sétimo e mais recente álbum Cajueiro, fica nítido o novo estilo e a evolução artística de Faraco.


Quando pergunto sobre sua visita a Califórnia, ele diz ter ficado quase 15 anos sem visitar o estado, porém sempre foi convidado para participar do Festival de Jazz de San Francisco.  “É sempre um prazer tocar aqui. O público americano é sempre muito receptivo, e eles vêm ao show e interagem com você. Mal posso esperar para voltar aqui novamente”, disse Márcio.

Em todos esse anos de carreira, ele compartilhou que um dos momentos que ficou gravado em sua memória, foi quando teve que subir ao palco logo após a morte de seu avô. “Foi difícil, e alguém da plateia sem saber o que tinha acontecido pediu que eu cantasse “Na Casa De Seu Humberto”, e como essa música falava dele, foi uma forma de eu fazer uma homenagem a ele….momento inesquecível.”

O músico ficou conhecido no circuito internacional depois do lançamento de seu primeiro álbum em 2000. Muitos o conhecem como o “Leonard Cohen brasileiro” devido ao estilo único que combina Samba, Bossa Nova, ritmos africanos e portugueses.

Incorporando as culturas brasileira e francesa, Márcio Faraco foi rapidamente adotado dentro do circuito de música internacional. Desde criança, com uma forte influência da própria família, ele descobriu a paixão pela música.

Espalhando seu talento através de cidades no Brasil, ele eventualmente se estabeleceu na França, iniciando uma carreira como um brasileiro de francófonos. Em 2000 Márcio Faraco lançou seu primeiro álbum – Ciranda – e desde então, sua devoção pela música lhe proporcionou a lançar mais sete álbuns, além de várias turnês ao redor do mundo.

Márcio já colaborou com grandes artistas, como Chico Buarque e Milton Nascimento. Em seu extensivo curriculum musical está registrado festivais de jazz e shows que incluem países como EUA, Canadá e Japão, além de toda a Europa.

 

Share:

Leave a reply